Buscar
  • Jordana Schneider

Viva aquilo que você quer viver!

Mais uma vez uso o Pole Dance como desculpa pra falar da vida. Constância, reclamação, ensino tradicional.. parece muito assunto para um post só. Mas prometo que a reflexão vai valer a pena.


A constância de todo dia


Constância tem sido o meu maior desafio, não só no pole. Sem constância não há evolução, não há firmeza no compromisso, e você já sabe disso. Ter uma rotina ajuda, mas às vezes simplesmente não "estamos no clima" de fazer aquilo ou imprevistos acontecem e aí perdemos a constância.


Hoje eu olho para mim e para as outras pessoas com um pouco mais de empatia. Nesse momento de vida, temporariamente em outra cidade e com uma pandemia que ainda está aí, querer cobrar constância de mim no Pole Dance é demais, então resolvi cobrar constância na academia e tá tudo bem.


Mas ter constância em algo que eu gosto e quero ser boa, como o Pole, me traz muito mais resultado e benefícios do que ser mediana em tudo. Detalhe que foi isso que fomos condicionadas a ser a vida inteira, mas calma que falarei disso mais aqui embaixo no texto.


E como tudo que é temporário não vira um hábito, ir para a academia exige de mim muito mais esforço do que ter o Pole Dance numa rotina, como tinha em outra cidade. Assim que isso virar um hábito, viajo de novo e começo do zero. O que no fundo eu adoro, ser livre e recriar a minha rotina sempre que quiser, mas gasto muito mais energia.


Faça mais e reclame menos


Claro que reclamar faz parte da nossa vida, de ser um ser humano. Mas reclamar por reclamar é um hábito sem sentido, e que afeta negativamente a vida de quem reclama e de quem está em volta.


Vejo mulheres frustradas que estão há 10 anos no Pole mas que não evoluíram o que outras evoluem em um ano por não terem constância. Mas tudo é questão de objetivos e prioridades: se o Pole não for uma prioridade para você, outra coisa será. E você será melhor nessa outra coisa.


Só que ficar reclamando, se culpando ou até culpando os outros não vai te levar a lugar nenhum. Fique bem com você e respeite o seu momento. Se ser turista na turma é o melhor que você consegue no pole naquele momento, tá tudo bem!


Mas saiba que ninguém vai ficar te esperando e que o treino vai acontecer com ou sem você. Isso dói, ver as outras poleamigas fazendo mais como você queria fazer. Mas se a sua prioridade é outra, foque nessa outra coisa ao invés de sofrer ou reclamar pra Deus e o mundo.



O ensino tradicional que ainda afeta a nossa vida


Quando crianças, na escola e depois na faculdade, nós fomos todos nivelados. Tanto por cima quanto por baixo, fomos ensinados a ser medianos em tudo e não a sermos bons naquilo que temos afinidade ou talento. E fica aqui a minha crítica ao sistema de ensino tradicional, que está matando poetas e matemáticos todos os dias para que eles passem de ano com a média necessária em TODAS as matérias.


Então, naturalmente, quando crescemos continuamos querendo estar na média para tudo. Na média em todas as atribuições do trabalho, mesmo você e o seu chefe sabendo que você é muito melhor naquela coisa em específica e que se especializasse naquilo ia ser um ganho para a empresa e para você.


Mediana como esposa, amiga, filha, prima, mãe, chefe, funcionária, poledancer quando quer ser todos esses papéis ao mesmo tempo, quando quer agradar todo mundo mas no fim só acaba ficando sobrecarregada e frustrada. Moça, tudo bem se você não quiser ser algum desses papéis, quem vai viver a sua vida é você. Então viva do jeito que você quiser.


Tive um professor que dizia que temos que saber conversar por 5 minutos sobre qualquer assunto, e completo a frase dele com: quando valer a pena o seu tempo adquirindo conhecimento para esses 5 minutos.


Por exemplo: tudo bem querer ser boa no flex. Mas se o seu diferencial e o que você gosta são os movimentos de força, então treine apenas o suficiente do flex para conseguir fazer os movimentos de força que você quer. Não precisa aprender a fazer espacate se, pelo menos agora, não vai fazer diferença nos movimentos que você está aprendendo ou quer aprender.


Parece que estou vivendo num mundo utópico, mas não. Estou apenas te mostrando que o seu tempo é valioso demais para ser médio em tudo. E nossa vida é curta demais apenas para vivermos na média e pagarmos boletos. Viva de verdade, viva aquilo que você vê os outros vivendo e quer viver também.


Só quem tem rotina colhe os resultados


Só quem tem constância evolui. Então crie a sua própria rotina, com os seus objetivos em mente em com as "ferramentas" que estiverem disponíveis. Não espere ter a situação ideal para fazer algo novo ou fazer o que você gosta.


Você deve conhecer pessoas que estão esperando o momento ideal para fazer algo há 5, 10 anos. E esse algo precisa ser feito, e se não for feito por essa pessoa será feito por outra. E então outra pessoa vai viver tudo aquilo que ela queria ter vivido. E de repente a vida passou, outra pessoa já vez e ela ficou pra trás, ainda esperando o momento ideal.


Tá, isso ficou bem confuso. Vamos ao meu exemplo: eu não sou instrutora de Pole Dance. Mesmo que, por ter um blog sobre o assunto, muitas pessoas achem que sim. Mas a minha vontade de falar sobre isso era tanta, que ele foi criado sem muito planejamento. E hoje só falo e escrevo o que tenho vontade e o que vejo que precisa ser falado. Um pouco cada dia, na rotina que eu criei para isso, até virar um texto ou um post no Instagram.


Não quero deixar outra pessoa viver aquilo que eu quero viver ou falar o que eu quero falar, e eu quero agora. Mesmo sem as condições ideais e tendo que ralar o dobro pra ter aquilo que eu preciso nesse momento. Pois é assim que eu aprendo mais, executando meus planos.


E você, vai deixar outra pessoa viver aquilo que você quer viver?



#poledanceparainsistentes #poledance

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Curitiba, Paraná, Brasil.

  • TikTok
  • Instagram

©2019 by Pole Dance para Insistentes.

Proudly created with Wix.com